Filipe Berndt | Fotógrafo contemporâneo | Contemporary Photographer
Reino Zoológico


Sem título 2859 Canindé





Sem título 2298 Napoli





Sem título 6972 Goiânia





Sem título 8560 São Paulo


Sem título 2108 Roma





Sem título 2896 Canindé





Sem título 2372 Itatiba





Sem título 0489 São Paulo





Sem título 3023 Salvador


Sem título 2097 Pistoia





Sem título 2669 Bergamo





Sem título 2659 Bergamo





Sem título 2629 Bergamo





Sem título 1705 Roma





Sem título 1722 Roma





Sem título 1845 Roma





Sem título 2695 Bergamo





Sem título 2310 Curitiba





Sem título 6880 Goiânia


Sem título 1776 Roma





Sem título 7587 Sorocaba





Sem título 7583 Sorocaba





Sem título 2308 Napoli





Sem título 7165 Santos





Sem título 0810 Pistoia




A existência dos Zoológicos depende da existência humana. É como uma coleção mesquinha e de luxo de uma sociedade mimada. É nessa terra fictícia, chamada de Zoológico, que as leis do homem imperam sobre as leis da selva. Lá, os animais perdem seus instintos e são reprogramados de outra maneira, sem nenhum controle sobre suas próprias vidas, e vivem sem saber se estão na natureza real ou em um ambiente artificial. No Zoológico é possível reconhecer as semelhanças e descobrir as diferenças entre os seres humanos e os animais. Existe uma distinção tão clara entre os dois? Não somos também uma criatura frágil e disciplinada tentando se adequar à sociedade? Os Zoológicos mantêm forte semelhança com os fundamentos da sociedade humana, como sistemas de controle e autoridade, discriminações e exclusões, isolamento e condicionamento. Isso me faz pensar que a sociedade aceita acriticamente os atuais sistemas e é cada vez menos sensível à vida simulada. O ser humano tem o desejo de dominar a natureza, prosseguindo com o conceito de colonialismo, acumulando riquezas e pensamento materialista.

Visitar um Zoológico é como visitar diversas regiões diferentes do País e do mundo em um mesmo lugar. Os animais foram retirados de seu ambiente selvagem, classificados e agrupados em um novo ambiente preconcebido artificialmente, baseado naquilo que achamos ser o mais próximo e ideal da natureza selvagem. Em outras ocasiões, os animais são crias do próprio sistema Zoológico, descendentes de pais que foram capturados das florestas; esses novos seres são bichos supostamente selvagens que nunca conhecerão a selvageria da floresta.

Os humanos acreditam libertar-se de sua condição animal com relação à natureza por meio do desenvolvimento da tecnologia e da ciência, da revolução industrial e da modernização de nossas vidas. No entanto, também provocou o início da devastação da natureza. Os Zoológicos refletem essa amarga realidade de forma impotente. Agora, os animais privados de seus instintos, suas origens e memórias sobre a natureza são obrigados a existir diante de nós como uma amostra que representa cada espécie.


Informe

Ampliação Fujicolor Crystal Archive

Dimensões 110 x 165 cm

Edição de 06

Ano de produção 2010 - 2011 - 2012

EXPOSIÇÕES | EXHIBITIONS
2015 . Memórias e ações dos Salões de Arte Contemporânea de Santo André, curadoria de Douglas Negrisolli
2012 . Reino Zoológico - Central Galeria de Arte Contemporânea, curadoria de Rejane Cintrão



Back to Photo Gallery